images

1 litro de lágrimas

Degeneração Espinocerebelar.

Quando descoberta, essa doença é como uma sentença de morte lida perante seus olhos.

Tudo em seu corpo que é controlado pelo cerebelo vai acabar atrofiando. E aos poucos se para de andar, escrever, falar, engolir…. até que a morte venha para o ato final.

Uma doença incurável e cruel.

Aya Kitō foi uma das poucas pessoas no mundo que passaram por essa situação. Ela resolveu anotar tudo que lhe aconteceu desde a descoberta da doença em uma espécie de diário. Escrever esse diário ajudou – a exprimir sua dor, ajudou outras pessoas que passavam pelo mesmo que ela e até mesmo médicos a entenderem melhor a doença.

A japonesa que tinha apenas 15 anos quando demonstrou os primeiros sinais visíveis da degeneração e estava começando o ensino médio. Aya sempre fora uma garota aplicada e entrou para uma escola de grande prestígio em sua escola e sempre ajudou em casa.

Ter a vida mudada de cabeça para baixo foi extremamente difícil. E sempre ficava precoupada em como atrapalhava os outros, como era um fardo. E achava que era completamente inútil. Mas ao “desabafar” em seu diário ela achou a razão que precisava para viver. Aos 23 anos Aya, que nem falar conseguia, tem seu diário publicado, primeiramente voltado para deficientes. Logo seu livro atingiria grandes vendas e cerca de 19 anos depois é lançado o mangá e o dorama de sua vida.

Para quem não conhece, dorama é uma espécie de novela japonesa com poucos episódios. Em 2005, “Um Litro de Lágrimas” (Ichi Rittoru no Namida – 1リットルの涙) foi lançado e fez um grande sucesso. Com Sawajiri Erika como Ikeuchi Aya, o dorama mostrou bem o drama da garota e como família e amigos foram tão importantes em sua luta.

Eu li o mangá e assisti ao dorama. O mangá conta de forma bem enxuta ao passo que o dorama coloca alguns elementos que podem não ter acontecido realmente para tornar um pouco mais dramático.

A novelinha é bem realista e os atores bem convincente, por isso acabei gostando mais dessa versão.

O dorama mostra com maior drama coisas que acontecem no dia-a-dia de Aya. Como as primeiras vezes que leva tombo, a emoção de entrar no colégio Higashi, as novas e velhas amizades, o basquete, a descoberta da doença, decepção amorosa, o florescer de um novo amor.

A trilha sonora da mini novela se resume a 3 músicas que se casam muito bem com todo o contexto. E durante a abertura e o final é mostrado fotos reais de Aya Kitō.

Para quem quiser saber mais sobre o dorama o site The Doramas fez um review muito legal dele.

Aqui vai algumas das citações originais de Aya, que eu acho que valem muito a pena serem lidas:

  • Por que essa doença me escolheu? Destino é algo que não se pode colocar em palavras.
  • Faltam 4 dias até o fim das aulas. Parece que por minha causa, todos estão segurando mil garças de papéis. A imagem deles segurando-os com tanto esforço, guardarei no fundo dos meus olhos: para que eu nunca esqueça, mesmo estando separados. Mas eu queria que dissessem: “Aya, não vá”.
  • Foi preciso um litro de lágrimas.
  • Os sons “ma”, “wa”, “ba”, e “n” ficaram difíceis de pronunciar. Em vez da voz, só sai vento. Por isso, não consigo me comunicar com os outros. Ultimamente, tenho falado muito sozinha, antes eu não gostava, mas é como um treinamento para a boca, vou fazer bastante. Não vou parar de falar
  • Por qual motivo eu estou vivendo? Aonde devo ir? Apesar de não conseguir respostas, se escrevo, meus sentimentos melhoram. Estou à procura de muitas mãos, mas não consigo alcançá-las, não consigo percebe-las, apenas sigo em direção à escuridão, apenas ouço minha voz que grita sem esperanças.
  • Não consigo me mover, que raiva…

E uma das frases merece atenção especial: “O fato de eu estar viva é uma coisa tão encantadora e maravilhosa que me faz querer viver mais e mais.”  Essa foi a útlima frase que Aya conseguiu escrever sozinha em seu diário. Ela morreu em 23 de maio de 1988, aos 25 anos.

 

 

4 comments

  1. Adorei, Ma :)

    Nossa, o Dorama é lindo, e a trilha sonora ajuda a por as lágrimas pra fora xD
    Eu também tenho o mangá (que eu li primeiro) e amei.

  2. Olá!

    Este dorama me marcou muito, pois além de ser uma excelente produção, foi o primeiro dorama que assisti. É impossível segurar as lágrimas. Realmente lindo! E obrigada por citar o meu blog.

    Bjuss

  3. Q postagem fofa ^^

    Mari, adoro a Aya, e é uma das histórias mais tristes-lindas que já conheci em toda a minha vida. Isso é um grande encorajamento para nós, não?

    beijos

  4. A história da Kifuji Aya é mto bonita.. Um exemplo de vida pra mtas pessoas. Pena q a história dela é mais conhecida apenas no japão… todos deveriam conhecer…

    O dorama é lindo! Assisti umas 3 vezes e chorei em todas as vezes q assisti ¬¬ Olha q ñ sou de chorar com filme nem nada assim…

    Tbm tem um filme, que dizem ser mais fiel ao livro. O filme, apesar de ñ ser tão bonito quanto o dorama, tbm é mto bom… e triste.

    Em 2008 achei um blog de uma mulher q estava traduzindo o livro, porém ela parou de traduzir e apagou o blog. -.-‘

    Enfim, ótima postagem e ótimo site! bjs

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *