Black Widow

Black Widow

Qualquer um que tenha lido uma história da Viúva Negra sabe que sua lealdade é sempre uma incógnita. Descobrir de que lado ela está é a graça de suas histórias, e traições são tão comuns quanto suas poses estonteantes. Ela funciona muito bem como personagem secundária em sagas maiores, mas isto não significa que ela não funcione em histórias solo. E esta versão está aí para provar.

A personagem foi criada em 1964, mas sua origem é mais antiga. Ela nasceu em 1928 (pelo menos nesta versão da história), e foi treinada e passou por várias guerras em sua terra natal, a sempre bélica Rússia. Sofreu implantes de memória, foi alvo de testes com um soro derivado do que deu ao Capitão América seus poderes – e que lhe conferiu entre outras coisas sua longa longevidade – e fez parte das maiores organizações do mundo. É uma verdadeira lenda no universo 616 da Marvel. E atualmente atua com os heróis de roupas coloridas dOs Vingadores.

250px-Black_Widow_1

Esta série, a quarta a tentar lançar quadrinhos solos da heroína mensalmente, tenta equilibrar os dois lados da “heroína”. Pelo menos sua primeira saga, que vai do número 1 ao 5. Não é um trabalho fácil. Quando vemos as misérias do mundo real lado a lado com as maravilhas dos super-heróis tudo parece bobo, superficial. O que deixa tudo nos eixos é Natasha Romanova.

O que mantém alguém vivendo no limite há mais de 70 anos? Como ficam os relacionamentos, sejam amorosos ou afetivos, quando todo mundo que se ama envelhece e morre? Quando há tantas tragédias que com o passar do tempo elas vão sendo esquecidas? Isto é metade da saga.

Comparado com este desenvolvimento a história principal fica pálida. Natasha teve um dispositivo roubado (ela sofre bastante dano no processo, pois o dispositivo estava dentro dela). Nele há dados de todo mundo com quem ela se relacionou – basicamente todo mundo que tem superpoderes ou alguma relevância no universo da Marvel. Agora ela tem que desfazer o estrago, enquanto lida com a pressão de todos os lados. E  ameaças também.

A arte não decepciona. Daniel Acuña, pelo que entendi, é o responsável pelo traço e colorização. Sua arte não é detalhada, mas passa exatamente o que é preciso. É uma estilização simples de entender. E que não falha em retratar uma Natasha belíssima e dona um corpo escultural, mas que não parece estar posando para uma revista pornográfica a cada quadro. Ele dá a personagem uma elegância muito mais difícil de retratar que uma erotização fácil. Pesquisei e Daniel não tem muitas edições de quadrinhos no currículo. Uma pena.

A escritora é Marjorie Liu, que para minha surpresa está na lista de mais vendidos do New York Times Best Seller com livros de fantasia urbana, e que fez mais alguns trabalhos com a Marvel. Uma escritora no lugar de um escritor parece ter feito uma diferença para melhor na revista.

Viúva Negra

A segunda saga, que dura só três edições, é com outros artistas e serve como um prequel para uma minissérie. Não é ruim de todo, mas não é tão boa quanto a primeira. É só um passatempo mesmo. Que continua com na minissérie Widowmaker.

É bom poder ler uma história só sobre a Viúva Negra. Ela não tem grande apelo comercial (acho que a revista terminou na edição 8 exatamente por isto), então para saber o que acontece com ela temos que acompanhar várias revistas onde ela é mera coadjuvante. E uma personagem com uma história de fundo tão fascinante quanto ela certamente merece mais.

5 comments

  1. Está ai uma personagem que poderia ser muito bem aproveitada em um solo daquelas sagas Noir. Não curti muito a arte do cara, mas só vi isso aqui que postou e é puro gosto. Quanto a ela nos Vingadores, eu preferia nem ter visto aquilo… :D

    1. Eu até que gostei do filme dOs Vingadores, mas teve umas descaracterizações em alguns personagens. A Viúva Negra tinha que estar matando as pessoas, e de maneira bruta, não aquele quase balé dela. Mas ela enganando o Loki é legal ^^

      Você não imagina a birra que tenho da Anne Hathaway “Barbie” como Mulher Gato :)

      Uma série Noir dela seria maravilhosa. Você leu muitas? Me recomenda algumas! Eu li só a do Homem de Ferro, e gostei bastante. Estas reimaginações são sempre legais. Que o diga Entre a Foice e o Martelo, melhor história do Superman que já li :P

      1. Então, eu não vi o Batman que tem a Anne Hathaway como Mulher Gato, nem é algo que eu queia apressar a ver. Sei lá, estas heroínas precisam ser repensadas em sua atuação. Por exemplo, para caracterizar uma “Viúva Negra” é muito mais fácil fazer uma atleta parecer atriz, e convencer que é uma pessoa ágil e resistente e que pode matar geral, do que fazer uma atriz sem nem um grama de músculo convencer que consegue dar uma cabeçada em alguém e continuar de pé!

        Para alguns papeis você precisa de atletas atuando e não de atores tentando ser atletas. Por exemplo, a Ronda Rousey convenceria que consegue espancar uns caras, ao mesmo tempo que é bonita e consegue convencer ser elegante e sensual. Que é a estrutura do papel da Viúva Negra. Muito mais fácil transformar uma Ronda Rousey com uma direção adequada em uma personagem convincente de Viúva Negra que uma Scarlett Johansson.

        Falando em birra: Halle Berry como Mulher Gato e Tempestade! :D E agora esta do Ben Affleck

        Sobre o universo Noir eu já li duas do Homem Aranha, a do Homem de Ferro, duas do Wolverine, duas do X-man, a do Demolidor. Para mim, as do Homem Aranha são, disparadas, as melhores! Depois Homem de Ferro (mais divertida). As demais são boas, mas não tão fodas quanto as do Homem Aranha e Homem de Ferro. X-man e Wolverine deixam muito a desejar na caracterização dos personagens , mas as estórias são interessantes e a arte vale a pena.

          1. Pois é, a cabeçada… Além da cena ter ficado mal filmada em um ângulo que até um amador filmaria bem, ficando parecendo mais uma cabelada que uma cabeçada, se uma Scarlet Johanson der uma cabeçada destas em um cara qualquer, do porte daquele, é provável que vá quebrar o pescoço! Não dá para convencer!

            A Ronda foi um exemplo de atleta para uma heroína, e sim, daria sim! :D Mas para Mulher Maravilha eu votaria na Gina Carano :D

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *