SoundTest: Donkey Kong Country

Bom, eu não posso me comparar ao restante do pessoal do site que já vem escrevendo sobre jogos, animação e outros. Logo, já que estudo música, pensei em fazer uma postagem relacionada a isso. Embora tenha começado a jogar com um Master System, meu vídeo game favorito sempre foi o Super Nintendo. Quais jogos de SNES tem uma trilha sonora marcante? Vários, mas o primeiro que me apareceu na mente foi Donkey Kong Country!

Com músicas compostas por Robin Beanland, Eveline Fischer e David Wise, o primeiro game da franquia “Country” foi um sucesso de vendas. Fato que eu soube recentemente foi a existência de um CD chamado DK Jamz com a trilha sonora do jogo e lançado em 1995. David Wise afirmou que queria um som similar ao do Korg Wavestation – para músicos ou entendidos de teclados essa é uma informação interessante –, então foi usado um chip SPC700 no cartucho para ter os sons parecidos. Por fim, DKC foi remixado pelo OC Remix (OverClocked Remix), uma organização dedicada a homenagear e preservar músicas de games através de novos arranjos e leituras das mesmas.

A primeira música, o grande tema de DKC e que é mostrado no título do jogo foi composta por David Wise. Muitas das músicas do jogo apresentam o que eu chamo de “fórmulas de interlúdio”. Para entender melhor isso, vejamos: inicialmente há apenas sons sintéticos, logo começa a bateria e uma ambientação imitando macacos. Até aí temos algo parecido com um “Rap da Selva”. Então a bateria passa a fazer só uma marcação tranqüila e temos mais sons sintéticos até que a bateria recomeça o “Rap da Selva”. Esse processo repete nos dando uma sequência previsível de trechos da música. Fórmula de uma música bem elaborada e simples.

Claro que não farei uma análise de todas as músicas, então, vou citar os pontos que considero mais marcantes. As músicas de Eveline Fischer foram, no geral, ou músicas de tensão ou suspense. Exemplo disso é Northern Hemispheres que aparece nas fases geladas do Gorilla Glacier(mundo 4) e Treetop Rock que toca em fases de Vine Valley(mundo 3), sendo a primeira uma música sombria e cheia de tensão enquanto a segunda é uma mistura de tudo que há de sintético e um tipo de xilofone. Aparentemente, a única música de autoria de Robin Beanland foi Funky’s Fugue (Tema de Funky Kong), não podendo deixar de ser citada. Eu não saberia muito bem a diferença da música original para um remix, já que a própria parece um funk norte americano remixado. Possui uma levada de música tipo dance pela batida forte, o que afasta da raiz do USA funk, mas não totalmente.

Embora eu ache os compositores japoneses melhores que os demais, há exceções. Entre eles figuram o trio responsável por DKC, mas David Wise em primeiro lugar. Há pelo menos três músicas simplesmente incríveis compostas pelo Mr. Wise: Aquatic Ambiance, Fear Factory e Gang-Plank Galleon. A primeira, mais conhecida como a “música das fases de água”, teve uma versão fantástica tocada por orquestra, embora a original não deixe de ser menos fantástica por isso. Primeiro, parece mais uma mistura de sons indo e vindo enquanto um trecho é tocado e repetido várias vezes. Essa maneira tem tudo haver com a fase, já que tem sons que lembram gotas caindo; além do delay (o eco da maioria dos sons) que nos trás a impressão de um local imenso. Fear Factory é uma música no melhor estilo de dance, rave, electro ou qualquer outra farinha desse mesmo pacote. Embora tenha um xilofone vibrando, o restante é puramente sintético e com uma batida pesada. Fato esse que faz lembrar o bater de máquinas – sem falar que a fase se passa num ambiente industrial. Ainda, é a música da qual mais ouvi remix. Já Gang-Plank Galleon aparece no final, ao enfrentar o rei K. Rool no navio que a cada mundo se aproxima mais da costa da ilha. É uma “prévia” de DKC2, que apresentou o mesmo estilo em parte do jogo. Embora a GP Galleon começasse com um tema musical alegre e bem “piratesco” (flauta e acordeom), logo surge do nada uma bateria esmagadora, uma guitarra desossante e um baixo pulsante. Amazing! Gostaria que um hit desses substituísse essas músicas melosas que ouvimos na televisão, rádio…

Por fim, é de se notar a grande presença de sons sintéticos nas músicas. Sim, claro, não havia como colocar sons acústicos em um cartucho de Super Nintendo, mas o som de piano que vez ou outra aparece nas músicas é bom – pra época e tecnologia – e ainda foi muito usado pelos compositores. Penso que só a partir da era 32bits que foi possível ter músicas realistas, em que parece ter uma orquestra ou banda tocando. Será que nas trilhas sonoras de jogos mais atuais não transparece tanta genialidade ou será que são nossas lembranças da época de jogar o game num SNES é que deixam as músicas inconfundíveis? Eu fico com a primeira opção, embora existam grandes exceções. Mas, fato inegável é que os compositores de Donkey Kong Country ajudaram a tornar um game tão bom em um game inesquecível.

2 comments

  1. Meu jogo favorito e me introduziu à game music com Aquatic Ambiance. A não ser por Nothern Hemispheres e talvez Ice Cave Chant, as músicas da Eveline não me agradam. Já ouviu a trilha sonora de DKC3? Ela fez quase sozinha. Acho que é porque ela não é boa com músicas não-tensas (afinal, Nuts ‘n’ Bolts é tensa e acho que foi ela que fez). Dave Wise é ,eu compositor favorito. Dizem que a música acalma a fera e eu lembro de quando eu tinha oito anos, entrava em um nível subaquático e pausava o jogo. Ficava ouvindo a música até o loop e voltava a jogar. Outra música que eu gostava quando criança e ainda gosto é Mine Cart Madness.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *