from-hell-movieFeat

From Hell

Até hoje não encontrei um filme que, por se passar na era vitoriana, não me chamasse a atenção. Admiro, ainda, o trabalho de Alan Moore (Watchmen, V de Vingança). Qual não foi minha surpresa ao encontrar um trabalho de Moore que se passa na época da rainha Vitória adaptado para o cinema.

From Hell é um filme de 2001 baseado na HQ homônima escrita por Moore e publicada de 1991 até 1996. O filme mostra um grupo de prostitutas no subúrbio londrino de Whitechapel em 1888. Elas presenciaram um intrigante casamento entre uma delas e um homem rico, que se dizia pintor. Anos depois, algumas delas viram o casal ser levado pela polícia secreta da Inglaterra, sendo que o marido desapareceu e a esposa foi dita louca e logo sofreu lobotomização. Em seguida as prostitutas começam, uma a uma, a aparecerem assassinadas. O caso chama a atenção da polícia, que designa o Inspetor Abberline (Johnny Depp) para solucioná-lo.  Ele contará com a ajuda do sargento Peter Godley (Robbie Coltrane) e do médico Sir William Gull (Sir Ian Holm). Um fato que chama a atenção é o modus operandi do assassino: todas as vítimas tiveram a garganta cortada, a maioria teve extraído ao menos um órgão, a precisão dos cortes era notável e algumas foram ainda estripadas. O culpado: Jack O Estripador (Jack The Ripper).

No filme, com atuação brilhante de Johnny Depp e Sir Ian Holm, o inspetor usa de habilidades psíquicas para prever os casos e identificar pistas. Tais habilidades provém do uso do ópio e de veneno em quantidade não letal (não tente fazer isso em casa).

Sir Ian Holm, conhecido também como Bilbo Baggins.

Jack o Estripador de fato existiu e, apesar dos esforços de vários inspetores da Divisão de Investigação Criminal de Whitechapel, nunca foi pego. O nome do filme e das hqs, inclusive, foi retirado de uma carta enviada ao departamento de polícia em 15 de outubro de 1888, provavelmente pelo assassino, e que continha no cabeçalho as palavras “From hell”, como se fosse o endereço do remetente.

Imagem da carta de 1888. Infelizmente, várias evidências do caso foram perdidas.

Embasado em fatos históricos, Alan Moore compôs uma história incrível. A versão adaptada para o  cinema, entretanto, foi recebida com duras críticas, em especial, ao romance não desenvolvido entre o inspetor e uma das prostitutas. A pouca importância dada ao romance, na minha opinião, não foi prejudicial ao filme, tendo como foco não a visão subjetiva dos personagens, mas sim a resolução do crime em um ritmo desenfreado, atingindo seu ápice quando o inspetor encara Jack O Estripador. O assassino, porém, é mostrado como dotado de poderes sobrenaturais, que o fazem dilatar as pupilas dos olhos. Esse fato não é explicado no filme, o que pode criar uma certa expectativa que é rapidamente quebrada.

É um filme, por fim, que apesar de não ter sido tão bem aclamado quanto a obra original de Moore, compensa assistir.

“One day men will look back and say i gave birth to the twentieth century.”

– Jack The Ripper

One comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *