Golden Age of American Animation

Gosta de animações? Nenhum período foi mais importante que a Era de Ouro das Animações dos Estados Unidos. Uma era onde desenhos não eram feitos pra vender brinquedos, não havia censura, animações eram feitas pra entreter adultos e crianças e a tecnologia trazia mudanças bruscas em questão de anos.

Duck Amuck, um dos melhores desenhos desta época

Duvida da importância da época? Vou citar alguns exemplos de personagens que foram criados nela:: Mickey, Donald, Pernalonga, Patolino, Pica-pau, Tom e Jerry, Betty Boop, Coyote, Popeye, Gaguinho, Super Mouse, Faísca e Fumaça, Picolino, Mr Magoo, e muitos outros. São desenhos que inspiraram gerações ao redor do mundo.

Muita gente acha que estes desenhos são previsíveis, e que só fizeram sucessos graças as crianças. O que é normal, afinal eles foram reprisados até a exaustão. Vou demonstrar a originalidade usando de exemplo um ótimo desenho animado atual: Padrinhos Mágicos. Os episódios seguem a mesma fórmula: Jimmy encontra algum problema da vida real, tenta resolver com magia, complica tudo, e no final do episódio conserta as coisas com algum desejo. Há excessões, claro, mas normalmente transcorre desta maneira.

Steamboat Willie, primeiro cartoon a mostrar o Mickey

Pegue os curtas da Disney e da Warner. Compare-os com os desenhos de hoje. Há os sobre heroísmo, onde há um vilão a ser derrotado. Há contos onde um grupo se reúne pra comemorar algo, por acidente botam fogo no lugar e se unem pra remediar tudo. Há episódos onde um protagonista tenta sacanear o outro. Há musicais variados. O episódio onde Patolino se descobre preso em um desenho que está sendo dirigido pelo seu arqui-rival Pernalonga coloca qualquer desenho atual no chinelo.

A própria faixa etária dos personagens é um fato interessante. Embora não se possa dizer com certeza que Mickey ou Pica-Pau são adultos, eles certamente se portam como tal. Tem neuroses típicas como stress, ou com agenda repleta de atividades como trabalhar e organizar festas. Agem como caricaturas de adultos. Atualmente, desenhos tendem a apresentar crianças de bondosas na escola, sempre submissos a ordens de adultos e enfrentando no máximo bullying.

Betty Boop esbanja sensualidade na décade de 30

Não que um estilo seja melhor ou pior que o outro. Mas é bom deixar claro que se destinam a públicos diferentes. Já não se fazem mais muitas animações sobre um jovem escolhido por algum item mágico pra enfrentar o “Mau”, com maiúscula, aspas e entonação sombria. Entre os anos 1980 e 2000 o mercado ficou saturado. Desenhos escolares vão ser deixados para trás – na minha opinião – por desenhos com mais ação, mas focados mais no lado civil que no lado superpoderoso dos personagens, usando como influência os animes. Exemplo de um desenho assim de sucesso? Avatar, o Último Dobrador de Ar.

Outro destaque dos curtas antigos é a qualidade da animação. Fazer um curta envolvia bastante tempo e dinheiro. Todo o processo era feito a mão, já que não havia computadores. Muitas vezes nem os mesmos personagens eram utilizados. E o apoio de artistas famosos da época e de orquestras de estúdios garantia uma ótima qualidade de áudio. O resultado? Muito lucro, cinemas lotados e personagens que até hoje são conhecidos por todos.

Pica-Pau foi o primeiro desenho a ser exibido no Brasil

O período começou em 1928, com os primeiros desenhos sonoros, e durou várias décadas. Passaram por mudanças significativas, como a inclusão de cor, a utilização como propaganda de uerra e muito mais, e certamente são uma prova histórica de um modo de pensar.Como exemplo, há os Censored Eleven, um grupo de 11 curtas de Looney Tunes & Merry Melodies proibidos de serem exibidos na tv desde 1968 pelo conteúdo racista. Fora os muitos curtas censurados para TV, que são lançados sem cortes em DVD.

Minha opinião sobre estes desenhos censurados se encaixa perfeitamente no aviso dos DVDs Golden Collection de Looney Tunes:

“The cartoons you are about to see are products of their time. They may depict some of the ethnic and racial prejudices that were commonplace in the U.S society. These depictions were wrong then and they are wrong today. While the following does not represent the Warner Bros. view of today’s society, these cartoons are being presented as they were originally created, because to do otherwise would be the same as claiming that these prejudices never existed.”

Mel Blanc, o mais importante dublador de desenhos do mundo

Tradução livre: “Os desenhos que vocês irão assistir são produtos de uma era. Eles podem mostrar alguns preconceitos éticos e raciais que eram comuns na sociedade americanas. Esses preconceitos eram errados na época e continuam errados hoje em dia. Embora não representem a visão da Warner Bross da sociedade atual, estes desenhos são exibidos como foram originalmente criados. De outra forma, seria o mesmo que negar que estes preconceitos existiram.”

Em 1937 Walt Disney mostrou, a começar com Branca de Neve e os Sete Anões, que filmes animados podiam dar lucro. Logo surgiram muitas empresas querendo uma fatia do bolo, então o lucro dos curtas ia gradualmente diminuindo. Mas o golpe final para o mercado não veio no cinema, e sim na TV. Não havia como competir com as animações de baixo custo que surgiam, capazes de produzir muitos mais episódios graças a pior qualidade de video e audio. E, com o passar do tempo, o interesse nas animações foi diminuindo, só voltando forte com o lançamento do filme Uma Cilada Para Roger Rabbit.

Pretendo falar sobre os animadores, desenhos e empresas aos poucos aqui no site. Esse artigo é uma introdução à uma das épocas mais importantes (senão a mais importante) da animação mundial.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *