O Temor do Sábio – Patrick Rothfuss

Há spoilers do primeiro livro. Estejam avisados.

O mercado de livros de fantasia em inglês é gigante. Alguns autores tem dezenas de títulos, há subgêneros de subgêneros e a quantidade de lançamentos é tão grande que a ideia de acompanhar tudo é surreal. Se destacar no meio de tanta gente então nem se fala. Patrick Rothfuss conseguiu isto já com seu primeiro livro. O Nome do Vento não só foi um sucesso de vendas como também de crítica, tanto da especializada quanto da de autores famosos. A pressão pela esperada continuação deve ter sido gigante.

TemorDoSabio

O Temor do Sábio veio com suas quase mil páginas tentar repetir (ou até mesmo superar) o sucesso de seu antecessor. Terminamos o primeiro livro com Kvothe jovem tendo chamado o nome do vento e se graduando mais na universidade. Já o Kvothe adulto mostrou claros sinais de decadência, Bast mostrou uma faceta assustadora e o mundo fora da hospedaria continua um mistério.

A vida de Kvothe no passado ficou mais perigosa. Ele atraiu ainda mais inimizade do Ambroise, e se mete em assuntos que podem lhe trazer diversos problemas. Desvendar os mistérios por trás dos Chandrianos é um sonho que parece impossível. Denna é escorregadia como sempre. E ao tentar conciliar tudo sua carreira na universidade se torna mais difícil.

O Temor do Sábio não se foca apenas na universidade. E de maneira realmente interessante, sem parecer uma missão secundária de jogos de videogame japoneses como foi a caçada ao dragão no final do primeiro livro. Acho que metade do livro se passa fora da instituição de ensino, o que dá um ar fresco a série. Personagens novos, lugares novos, situações novas e principalmente mistérios novos.

German-comparisons2
As capas de qualquer país são melhores que as americanas

Ah, pros que acharam a postura do Kvothe perante sexo muito puritana (eu incluso) ela mudou da água pro vinho. Há inclusive a presença de uma fada do sexo chamada Feluriana. E uma filosofia que certamente vai chocar algumas pessoas. Outra coisa que mudou foram os outros personagens. Finalmente é possível ver profundidade neles, e o Kvothe não é mais um personagem profundo andando em meio a personagens de papel.

Os momento memoráveis estão presentes. A encontro com o Cthaeh se tornou minha parte favorita da série, ganhando do embate entre o Cronista e Bast do primeiro livro. Infelizmente acho que há menos frases marcantes. Uma pena.

A cereja do bolo é o tempo atual, e Patrick Rothfuss sabe disso. Os detalhes destes capítulos são dados a conta-gotas, e há uma empolgação genuína quando passamos por eles. Há algo de muito grandioso e importante acontecendo, mas teremos que esperar o terceiro livro para descobrir o que é.

Kvothe-Doll-Pat-Squee
O autor e sua famosa barba

E mesmo que O Temor do Sábio seja um ótimo livro e escape dos erros do antecessor eu ainda acho o primeiro melhor. Talvez por ter mais momentos de reflexão. Ou pelas explicações dos detalhes de como o mundo funciona. Falando de um jeito mais simples e sincero: O Nome do Vento me marcou mais. Ainda assim O Temor do Sábio é um daqueles livros que uma vez que tenhamos começado é impossível por de lado. As páginas vão virando numa velocidade brutal, e as quase 1000 páginas passam muito mais rápido do que gostaríamos. Não é uma série que eu recomendaria apenas para fãs de fantasia. É uma série que eu recomendaria para qualquer pessoa.

Adoro entrevistas com autores, e assisti algumas com o Patrick. Ele soltou algumas informações confusas em relação a sua trilogia. Em algumas entrevistas ele diz que A Crônica do Matador de Rei já está escrita. Em outras que ele está escrevendo o terceiro livro. Acho que ele tem ao menos um rascunho dos último já pronto, e está parado no minucioso e demorado processo de edição e talvez reescrita. Seja como for ainda vai demorar para colocarmos as mãos no The Doors of Stone, terceiro e último da trilogia. Então reuni algumas teorias que encontrei na internet. Acho algumas altamente prováveis, outras uma viagem total, mas são interessantes por si só.

A partir desta parte há spoilers dos dois livros.

1 – O Ambroise vai se tornar rei. Há cada vez menos membros vivos na frente dele na linha de sucessão. E o Kbothe iria matá-lo.

2 – Netalia Lockless é a mãe do Kvothe. Quando o pai do Kvothe bebe e faz uma música para a mãe dele ele é expulso do vagão por uma péssima rima. As duas últimas frases cantadas são:

To make my wife

Not tally a lot less

Not tally a lot less = Netalia Lackless

3 – A importância dos nomes. E se uma pessoa ao mudar ou esquecer o nome perder também as habilidades? É o estado em que o Kvothe se encontra no presente, e por isso ele não é capaz de usar simpatia enquanto está como estalajeiro.

É também o motivo pelo qual ele permanece em Tarbean por três anos. Se esta parte for lida cuidadosamente dá para entender que ele recupera seu talento no momento que Skarpi fala seu nome.

E quando o Kvothe fala com Elodin sobre Denna ele fala sobre mudar nomes e o Elodin fica transtornado com a possibilidade.

4 – Kvothe perdeu tudo pela promessa que fez à Denna. “Eu juro que não tentarei descobrir quem é seu patrão, juro pelo meu nome e poder. Eu juro pela minha boa mão esquerda. Juro pela lua que nunca para de se mover.”

5 – “a história conta de como Kvothe saiu em busca do desejo de seu coração. Ele teve que enganar um demônio para conseguí-lo. Mas assim que conseguiu ele foi forçado a lutar com um anjo para mantê-lo.”

O desejo de seu coração seria a Denna, o demônio um dos Chandrianos (possivelmente Cinder) e o anjo um daqueles que foram criados na cidade mística das lendas.

6 – Cinder é o chandriano que está morto. No começo de O Nome do Vento fala: Alguns até dizem que há um novo chandriano. Porque haveria um novo chandriano se não para manter o número 7?

7 – Quem é Bast e porque ele tem tanta afeição com Kvothe? Ele pode ser o filho do mesmo com a Feluriana.

8 – O patrono da Denna é Bredon: ele joga um jogo velho o bastante para os Fae terem conhecimento, menciona ter começado a ter aulas de dança na mesma época que a Denna o faz, suas viagens coincidem com a época em que Denna parte de Vintas, e ele tem um cajado – vale lembrar que o Cthaeh revela que Denna apanhou de seu patrono com um cajado de caminhar.

9 – Os marcos do percurso protegem dos chandrianos. Os edena ruth sempre acampavam  perto deles, e quando param longe (graças a uma árvore caída) os pais de Kvothe são mortos.

10 – A espada Kaysera, a matadora de poetas, foi usada para matar Alonso.

E para terminar este texto fica uma curiosidade que poucos devem ter reparado: na história do Tamborlim quando ele foi aprisionado na pedra ele tinha apenas três coisas em posse -uma moeda, uma vela e uma chave. Estes são os presentes que a Auri deu para o Kvothe até hoje.

thewisemansfearcollage_zps2d444793

5 comments

  1. Ótimo post.. Ficamos no aguardo do terceiro livro.

    Uma coisa que pensei, será que o Kvothe é tão afeiçoado pela Denna por que ela é imutável como o vento? Não para nunca em um só lugar?

    Falouz

    1. Obrigado :) Deu bastante trabalho fazer o post, juntar as teorias, etc, mas é um dos que sou mais orgulhoso de ter escrito ^^
      Com o filho do Patrick a nascer acho que a espera será maior. Há muitas teorias sobre a Denna. Eu em particular acho que ela morre. Mas só no terceiro livro pra saber mesmo. Ou quarto, porque o segundo é gigante e terminar a série como uma trilogia me parece cada vez mais improvável. Abraços!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *