Queen

The Pirates! In an Adventure with Scientists!

Os filmes de longa metragem em stop-motion são tão raros que dá pra acompanhar tranquilamente as obras pelos nomes dos diretores ou produtoras. As notícias vem a conta-gotas, e só depois de alguns bons anos é que podemos assistí-los, isso se sairem nos cinemas daqui. Assim sendo eu não sabia (ou esqueci) que a Aardman Animations estava produzindo outro filme. Dá pra imaginar que eu fiquei louco com este trailer:

Vi o trailer acho que no começo do ano. Se você não gostou creio que este filme não seja pra você. Se gostou há uma ressalva: o filme não tem nenhum musical. É uma pena, eu sei. Mas ninguém que gostou do trailer vai se decepcionar. The Pirates! In an Adventure With Scientists (Ou The Pirates! Band of Misfits nos EUA) é um filme engraçado e muito criativo, com muitos cortes rápidos e piadas visuais.

Aardman Animations é um estúdio britânico que atingiu o sucesso graças a Wallace e Gromit e Chicken Run (A Fuga das Galinhas), provavelmente o filme infantil mas político a surgir desde Animal Farm (A Revolta dos Bichos). Eles também fizeram Flushed Away (Por Água Abaixo) todo em computação gráfica, ainda que mantendo o estilo visual dos stopmotion de clayanimation – popularmente conhecidos como “filmes de massinha”. Em The Pirates! eles usaram CG junto com animação stop-motion tradicional para facilitar o processo e criar, por exemplo, um oceano mais realista. O resultado final é surpreendetemente polido – é difícil adivinhar o que é artesanal e o que é computação. O filme foi habilmente dirigido por Peter Lord, co-fundador do estúdio.


A história é levemente baseada numa série de livros homônima lançada na Inglaterra. O próprio autor Gideon Defoe trabalhou no roteiro.  Ele gira em torno do Capitão Pirata, um pirata de bom coração que é temido pelas pessoas normais mas ridicularizado por outros capitães piratas. Seu sonho é ganhar o prêmio de Pirata do Ano, que é dado ao pirata com a maior pilhagem. Ele pensa em desistir e começar a fazer roupas de bebê pra ganhar a vida (eles crescem rápido) mas é convencido pelo Pirata com um Cachecol a continuar saqueando. E ele acaba saqueando o navio de Charles Darwin, que fala que o papagaio gordo do Capitão é na verdade um dodô e que gostaria de apresentá-lo a comunidade científica para ganhar o prêmio Cientista do Ano. O Capitão resolve apresentar ele mesmo o dodô e parte pra Londres, mesmo sabendo que a coisa que a Rainha Vitória mais odeia são piratas. E Darwin vai junto pra convencê-lo a deixar que ele ganhe o prêmio.


Os personagens são todos adoráveis. Ninguém na tripulação tem nome próprio, todos são conhecidos por nomes como Pirata Surpreendentemente Curvilíneo ou Pirata que Gosta de Pôr-do-Sol e Gatinhos. O Darwin tem um macaco de estimação chamado Mr Bobo que se comunica com placas e é responsável por alguns dos momentos mais engraçados do filme. A variedade de cenário, personagens e situações é o grande trunfo de The Pirates!, e a atenção aos detalhes gera brincadeiras que são difíceis de notar, como as placas (que felizmente aparecem nos créditos).

The Pirates! é divertido pra todas as idades. O primeiro longa-metragem stop-motion 3D da história fez bonito, e Peter Lord já tem ideias para uma sequência. Tudo que ele precisa é de financiamento. Com os filmes stop-motion caindo cada vez mais no gosto do povo talvez não demore muito, e daqui a alguns anos possamos acompanhar novas aventuras do Capitão Pirata e sua tripulação. Tomara.

One comment

  1. Filme muito bom. Mas me decepcionei com a maior parte da história se passar na Inglaterra ao invés de em alto mar, afinal, são piratas! Legal também é que o dublador do Pirata com Cachecol é o Martin Freeman (Bilbo Baggins do filme The Hobbit / Watson da serie Sherlock) e que o dublador de Charles Darwin é o David Tennant (um dos inúmeros Dr’s Who).

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *